Domingo, 22 de Outubro de 2017

Aconteceu

Empresários africanos vêm ao Brasil para visitas técnicas na área florestal

Com o apoio do Banco Mundial, comitiva desembarca no país para visitar empresas e instituições ligadas ao setor.

Por: Painel Florestal - Assessoria 
Florestas comerciais  brasileiras têm inspirado empresários de outros paísesFlorestas comerciais brasileiras têm inspirado empresários de outros países

Durante esta semana, um grupo de africanos provenientes da Etiópia e Moçambique inicia uma série de encontros e visitas técnicas no Brasil para conhecer de perto as experiências sobre os investimentos florestais privados cuja meta é suprir as indústrias e necessidades nacionais por madeira.

A atividade conta com o apoio do Banco Mundial, que terá representantes acompanhando a comitiva durante as visitas. A instituição financeira internacional, que atua no fornecimento de empréstimos para países em desenvolvimento, prestará apoio às iniciativas dos participantes no processo de catalisação de reformas e inovações visando fomentar o desenvolvimento de uma moderna indústria florestal em seus respectivos países.

O Brasil foi escolhido como país anfitrião, de acordo com os organizadores, por ter uma destacada indústria florestal em nível mundial, com modernas tecnologias de produção e processamento da madeira, assim como diferentes formas de fomento, longa experiência de regulamentação e incentivos, e aprimorado os impactos ambientais e sociais neste setor.

Para o presidente da Faresp - Federação das Associações de Reposição Florestal do Estado de São Paulo) -, José Alberto Mangas Pereira Catarino, a vinda da comitiva africana demonstra o interesse desses povos em buscarem o conhecimento necessário a fim de que possam desenvolver, em seus países, novas fontes renováveis de produção de matéria prima lenhosa. “Apoiamos sempre esse tipo de iniciativa porque reflete o limiar de uma nova cultura africana que incentiva a produção florestal de forma sustentável, minimizando o impacto ao meio ambiente”, explica.

Catarino menciona as experiências ocorridas na Nicarágua e Venezuela, onde foram implantados modelos sustentáveis de produção e manejo para preservar e garantir a sustentabilidade do abastecimento florestal daqueles países.

Na agenda dos participantes da missão africana está prevista para a terça-feira, 24, visitas a duas associações de reposição florestal, sendo elas o Instituto Refloresta e a Acervir, sediadas em Pilar do Sul (150km da capital de São Paulo) e Itu (90km da capital), respectivamente, onde conhecerão o modelo paulista de reposição florestal.

“Temos um modelo vitorioso de gestão da reposição florestal, através de associações regionais, implantado há mais de 25 anos no Estado de São Paulo, que atende os pequenos e médios consumidores de matéria prima florestal, modelo este que, por sua eficiência, já foi exportado para países da América Latina.

No final de 2013, o próprio Banco Mundial reconheceu os trabalhos desenvolvidos pelas diversas associações de reposição florestal existentes no território paulista no campo do desenvolvimento e estudos na busca de alternativas ambientalmente corretas e sustentáveis com vistas à produção de florestas energéticas, com a consequente geração de renda, para países em desenvolvimento”, comenta Catarino.

Na publicação do Energy Sector Management Assistance Program (Esmap), que é órgão ligado àquela instituição financeira, é enaltecido o modelo de sustentabilidade de produção de madeira energética e propõe sua implantação em países em desenvolvimento, principalmente os da América Central e África Subsaariana, que enfrentam atualmente graves crises de manutenção de suas reservas florestais que são destinadas a produção de energia e não são repostas.

Para o melhor aproveitamento da estada dos representantes etíopes e moçambicanos no Brasil foram elencados alguns objetivos principais, sendo eles o de melhorar o entendimento dos participantes no que tange às atividades de florestamento e reflorestamento que podem contribuir para diminuição da pobreza e inclusão social de produtores familiares na economia florestal; expor os últimos avanços e tecnologias de silvicultura de espécies de rápido crescimento, sustentabilidade ambiental das plantações, suas inter-relações com os ecossistemas naturais, e apoio às estratégias de redução do desmatamento e conservação das florestas naturais; elaborar políticas públicas de regulamentação, extensão e incentivos ao fomento florestal, assim como parcerias público-privadas; criar mecanismos de financiamentos inovadores e inteligentes, e estratégias que melhorem o clima para atrair novos investimentos florestais; e estabelecer vínculos e parcerias com organizações brasileiras, que possam apoiar as iniciativas na Etiópia e em Moçambique.

O cronograma de atividades prevê também visitas no decorrer da semana à sede do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais - IPEF, no município de Piracicaba (SP); visita a uma empresa do ramo de carvoaria em Atibaia (SP); e à Fibria Celulose, em Aracruz (ES).

http://www.painelflorestal.com.br/noticias/internacional/empresarios-africanos-veem-ao-brasil-para-visitas-tecnicas-na-area-florestal

© 2011-2013 Prolenha

 

Desenvolvido por ASTRO DESIGN

Recomende-nos

FacebookMySpaceTwitterDiggDeliciousStumbleuponGoogle BookmarksRedditNewsvineTechnoratiLinkedinMixxRSS Feed

Visitas no site

Hoje2
Ontem11
Na semana72
No mês351
Total24398

VCNT - Visitorcounter